Siga nas redes sociais Facebook Instagram YouTube Linkedin
Home / Destaque / Ensino Médio / Institucional / Notícias

Aluna tem projeto publicado em revista científica dos EUA

Imprimir Compartilhar Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter Compartilhe no Google Plus
Em 21 de novembro de 2019
A aluna Regina Amadeu

A aluna do Dante Regina Akiyama Amadeu, da 2ª série D do Ensino Médio, teve um trabalho publicado em uma revista científica internacional: a americana International Journal of High School Research (IJHSR). O artigo da dantiana está disponível na edição de setembro da revista, que pode ser acessada pela internet (clique aqui para conferir – página 14). Regina foi também a responsável por traduzir o artigo para o inglês e adaptar o conteúdo seguindo as exigências da publicação. “Esse processo começou no meio de 2018, e, agora que saiu, eu me sinto muito feliz com o reconhecimento internacional do meu trabalho”, comemora.

Regina no laboratório

A pesquisa é desenvolvida por Regina desde o 9º ano do Ensino Fundamental dentro do programa de pré-iniciação científica Cientista Aprendiz, sob orientação do professor de biologia Fernando Campos de Domenico. A jovem pesquisou os efeitos da ausência de luz nas raízes de orquídeas da espécie Catasetum fimbriatum cultivadas in vitro. Analisando as flores em laboratório, Regina queria investigar se a falta de luz resultaria em um crescimento maior nas raízes da planta – e sua hipótese foi confirmada! A estudante explica que, como as orquídeas são muito comercializadas, é comum seu cultivo in vitro, assim como o uso de carvão ativado para aumentar a eficiência e rapidez dessa produção. O carvão estimularia o crescimento da raiz da planta, enquanto a parte aérea cresce em direção à luz. No entanto, Regina desconfiou que não era o carvão em si que ajudava no crescimento da orquídea, e sim a escuridão que ele proporcionava à planta. E, de fato, privação de luz pode ser uma boa alternativa para substituir o carvão ativado.

A aluna analisa amostras de orquídea

O trabalho também levantou uma curiosidade familiar para Regina. “Não cheguei a conhecer meu avô materno, ele morreu antes de eu nascer, mas depois de começar a pesquisa descobri que ele amava orquídeas. Plantava, cuidava, colecionava. Achei essa ligação muito interessante, fiquei emocionada”, conta ela.

Categorias: Destaque, Ensino Médio, Institucional, Notícias