Siga nas redes sociais Facebook Instagram YouTube Linkedin
Dante Escuta
Moodle Colégio Dante Alighieri
Home / Destaque / Notícias / Notícias da Home / Notícias em Destaque

Ex-alunos do Dante se organizam para dar apoio aos vestibulandos do ENEM 2020

Imprimir Compartilhar Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter Compartilhe no Google Plus
Em 20 de maio de 2020
Publicação da página do Instagram EADoEnem

As inscrições para o ENEM 2020 começaram na segunda semana de maio, em meio a inúmeras manifestações públicas de insatisfação pedindo para que o Ministério da Educação adie prova em consequência do isolamento social por causa da pandemia do Covid-19.

A crítica majoritária de estudantes, professores e especialistas em educação ao redor do país é a de que nem todos têm o mesmo nível de apoio e qualidade no ensino à distância, principalmente os alunos de escolas públicas – que em sua maioria sequer têm acesso à internet ou computadores em casa para estudar.

Diante deste cenário, ex-alunos do Dante tomaram a frente da situação para dispor de seu tempo e conhecimento em prol do coletivo. Um grupo de treze colegas dantianos recém-formados, que passaram nas melhores universidades do Brasil e do exterior, se reuniram virtualmente para criar um perfil no Instagram chamado EADoEnem. O foco principal da página é tirar dúvidas de estudantes do ensino médio de todo território brasileiro que não contam com professores disponíveis à distância, a fim de ajudá-los a estudar e se preparar para a prova do ENEM no final deste ano.

O time de “alunos-professores” é composto por jovens que estão cursando diferentes áreas do conhecimento na USP, UFMG, UFABC, PUC, FGV e ESPM. O modelo é simples: os vestibulandos enviam suas dúvidas pelo direct do perfil e o grupo se organiza para responder o mais rápido possível.

Carolina Previdi, que atualmente cursa Farmácia e Bioquímica na USP, conta que a ideia surgiu de um movimento que ela e seus colegas observaram no Facebook, com pessoas em suas redes sociais postando que poderiam ajudar vestibulandos tirando dúvidas de determinadas disciplinas. “Com isso e a nossa vontade de também fazer algo, a Laura Marino (que faz Relações Internacionais na ESPM) sugeriu que a gente criasse um perfil no Instagram para formalizar essa ajuda”, comenta. 

A jovem universitária afirma que, além de tirar dúvidas, o perfil irá trazer diversos tipos de dicas, como métodos de estudo e conselhos sobre como diminuir ansiedade e conseguir se manter produtivo: “também iremos abrir um espaço para discussão sobre como os alunos têm sentido este período tão difícil e incerto pelo qual estamos passando”, diz.

Publicação do perfil EADoEnem

O sentido de dividir conhecimento

Davi Perides, que cursa História na USP, afirma que uma das suas maiores motivações para integrar o grupo é a consciência de ter uma responsabilidade para com a sociedade. O jovem ressente: “a não prorrogação do ENEM e a política de não fornecer infraestrutura básica de aprendizado à distância pelo governo irão prejudicar de forma extrema os jovens deste país que não tem condições de pagar por uma educação de qualidade à qual eles têm direito”.

O estudante de Engenharia de Materiais na USP, Breno Tonidandel, também afirma que o que o impulsionou a somar com o grupo de colegas foi a consciência de seus privilégios em relação às dificuldades encontradas pela maior parte dos estudantes do Brasil: “os vestibulandos desse ano enfrentam o período de maior incerteza quanto aos vestibulares da história, e isso fará com que as disparidades entre os alunos mais pobres e mais ricos se tornem abismos ainda maiores. Apesar de essa ajuda estar longe de solucionar o problema – conhecemos nossas limitações, até mesmo por ser algo feito numa plataforma online que nem todos têm acesso – ter a chance de ajudar as pessoas que mais precisam de auxílio para estudo é algo que não se deve deixar passar”, afirma.

A estudante de Matemática Aplicada no IME da USP, Alessandra Portinari, conta que ter passado pelo Ensino Médio no Dante foi fundamental tanto para o seu preparo acadêmico quanto de seus colegas no sentido de estruturar formas de ensino. “Além disso, acho que de maneira geral o ambiente do Dante também tornou a gente mais propenso e mais disposto a ajudar, é uma escola muito embebida no altruísmo como ferramenta de cidadania”, afirma a jovem.

Ideia que Davi concorda e complementa, afirmando que a habilidade em docência é sempre um processo em construção, mas ter estudado no Dante deu condições para que eles conseguissem hoje passar seus conhecimentos adiante. E finaliza dizendo que: “o colegial no Dante foi muito focado e voltado aos vestibulares, mas sem que se perdesse o senso crítico e o desenvolvimento de uma reflexão necessária ao processo de aprendizagem. Dessa forma, o Colégio conseguiu conciliar um ensino padronizado que os vestibulares muitas vezes requerem a um ensino que dá condições ao desenvolvimento pleno da cidadania nos alunos”.

Para acompanhar as publicações e entrar em contato com o grupo, acesse o perfil.

Categorias: Destaque, Notícias, Notícias da Home, Notícias em Destaque
error: Conteúdo protegido!!