Português Italiano Inglês Español
Siga nas redes sociais Facebook Instagram YouTube
Home / Destaque / Institucional

Alunos do Dante viajam à Itália visando ao enriquecimento cultural, humano e linguístico

Imprimir Compartilhar Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter Compartilhe no Google Plus
Em 4 de setembro de 2017

O Colégio Dante Alighieri, em parceria com a Cenci Turismo, levou um grupo de alunos do 9º ano à 3ª série do Ensino Médio à Itália. A viagem, realizada durante o mês de julho, teve como objetivo colocá-los em contato com as diferentes riquezas que o país oferece, como seu imenso patrimônio artístico, suas belezas naturais, sua variedade linguística e sua culinária.

A primeira parada dos dantianos foi em Torino. Lá, visitaram o Museu Egípcio, segundo maior do mundo, depois do museu do Cairo. A visita continuou pelo centro histórico, incluindo o Mercado di Porta Palazzo, e, à tarde, o grupo foi ao edifício conhecido como Mole Antonelliana, que abriga o Museu do Cinema.

O dia seguinte foi dedicado a visitar a Universidade Politecnico di Torino, instituição com a qual o Dante está em entendimentos para a realização de parcerias pedagógicas. No local, após uma apresentação das faculdades de Engenharia e Arquitetura, os alunos conheceram a estrutura da instituição e conversaram com dois estudantes brasileiros que estão frequentando a universidade. Em seguida, visitaram o Castello del Valentino, uma estrutura do século XVII que abriga a Faculdade de Arquitetura.

Em Venezia, o grupo visitou a Piazza San Marco, a Basílica e o Palazzo del Doge, onde aprenderam sobre a antiga Serenissima Repubblica di Venezia. Em seguida, passearam pela cidade e conheceram a região do Gueto. No dia seguinte, visitaram a ilha de Murano, famosa pela arte secular da fabricação de cristais.

Após passar por Venezia, os alunos foram à Bologna. Lá, visitaram o centro histórico da cidade e a primeira sede da universidade mais antiga do mundo, que possui, por exemplo, o Archiginnasio, onde os estudantes de medicina inspecionavam os cadáveres. Em seguida, foram a Alma Mater Studiorum, a Universidade de Bologna. Após o passeio, o grupo viajou para a capital do Renascentismo: Firenze! Lá, visitaram à Basílica de Santa Maria Novella, o Mercato Centrale de San Lorenzo e a Catedral de Santa Maria del Fiore. À tarde, conheceram o museu dedicado a Leonardo da Vinci e a Galleria dell’Accademia, que abriga a obra prima David, de Michelangelo. No dia seguinte, visitaram a Galleria degli Uffizi, a Piazza dela Signoria, a Basílica de Santa Croce, a Ponte Vecchio, o Palazzo Pitti e o Giardini di Boboli. Na despedida da cidade, visitaram a Piazzale Michelangelo.

Saindo de Firenze em direção à Toscana, os dantianos visitaram Monteriggioni e Siena. O primeiro encanta por ser um vilarejo medieval cercado por poderosas muralhas. Em Siena, visitaram o centro histórico, incluindo o Duomo e o Batistério. Em seguida, foram recebidos por Davide Orsini, responsável pelo Museu da Nobile Contrada dela Torre, que fez uma introdução sobre a vida do bairro e o fascínio que possuem pelo Palio, famosa corrida de cavalos que acontece na cidade duas vezes ao ano.

Na manhã seguinte, os alunos visitaram a Abadia de San Galgano e Monte Siepi. Em seguida, conheceram a Abadia de Sant’Antimo em Montalcino e Pienza e terminaram o dia hospedados em um hotel no Monte Amiata.

No último dia na Toscana, o grupo visitou o cume do Monte Amiata e aproveitou a vista para a província de Grosseto. Em seguida, visitaram Sovana, um burgo medieval de origem etrusca, e percorreram a Via Cava, chegando a Pitigliano, onde visitaram a “Pequena Jerusalém”, um antigo gueto hebraico subterrâneo, e o Museu Arqueológico de Arte Etrusca.

A última etapa da viagem foi na capital italiana: Roma! No primeiro dia, os dantianos visitaram a Antiga Roma, o Musei Capitolini, o Foro Romano e o Colosseo. Em seguida, terminaram o dia com uma surpresa: visitaram a famosa estátua do Moisés de Michelangelo, na igreja de San Pietro in Vincoli, que estava há anos passando por restauros e havia sido reaberta a público recentemente.

No segundo dia na capital, o grupo dedicou-se a conhecer o Vaticano. Começaram a visita pelos Museus Vaticanos e conheceram a Basílica de São Pedro. Em seguida, tiveram uma aula de história em frente a Ara Pacis, altar erguido pelo imperador César Augusto para celebrar a paz. À noite, após o jantar, passearam ao ar livre ao longo do rio Tevere.

O dia seguinte foi dedicado à Roma barroca. O passeio teve início com uma subida até o mirante do Pincio. Em seguida, visitaram a Piazza del Popolo, Piazza di Spagna, Via Merulana, Fontana di Trevi, Igrega de Sant’Ignazio, Piazza Farnese, Piazza Campo dei Fiori, Piazza Navona e o Pantheon. Além disso, puderam admirar as pinturas de Caravaggio nas igrejas de Santa Maria del Popolo e San Luigi dei Francesi.

No último dia de viagem na Itália, os alunos fizeram um passeio de bicicleta pela capital. Saindo dos arredores do Colosseo, o grupo chegou à entrada do Parco dela Via Appia Antica, passou pela mansão do imperador Massenzio e visitou as Catacumbas de San Callisto. Após o almoço, conheceram o Mausoléu de Cecilia Metella e, em seguida, passaram pela pavimentação original da Via Appia. Continuaram o passeio pelo Parco dela Caffarella e o Parque dos Aquedutos. À noite, os jovens jantaram na típica pizzaria Gattabuia, em Trastevere, e curtiram a noite romana subindo até as colinas do Aventino e do Gianicolo.

De acordo com a professora Alessandra Iacovini, que acompanhou os alunos na excursão, o maior ganho da viagem foi o enriquecimento cultural, tanto da parte histórica como dos costumes atuais. “Os alunos provaram pratos típicos em cada região, tiveram um guia dando todas as explicações necessárias e utilizaram o que aprenderam na sala de aula para conversar com os italianos, como na hora de pedir um gelato”, afirmou. “Além disso, o que mais me marcou foi ver como eles sentiram as diferenças culturais de comportamento e se adaptaram a elas durante a viagem. O uso do celular, por exemplo, diminui bastante e, ao final, o grupo ficava sentado nas piazze conversando entre si como verdadeiros italianos. Eles vivenciaram a cultura italiana de uma forma mais profunda e significativa, diferentemente de um simples turista”, completou.

“Foi realmente incrível”, disse a dantiana Bruna Spina, da 2ª série A. “Fizemos caminhos incríveis além do turismo básico.  Nós nos divertimos muito, mas fomos recompensados também com uma bagagem cultural incrível”, completou.

“É uma viagem que não foca tanto a parte linguística, mas a vivência, o conhecimento artístico e cultural que favorece a formação pessoal e intelectual do aluno para a vida toda, como pessoa e não só como aluno”, disse a professora Angela Angoretto, coordenadora do departamento de italiano. “A programação foi toda estudada nos mínimos detalhes e é gratificante ver que tudo correu bem e além do esperado”, afirmou.

Categorias: Destaque, Institucional