Português Italiano Inglês Español
Siga nas redes sociais Facebook Instagram YouTube
Home / Destaque / Ensino Médio

Edição de 2017 do Dante in Company conta com projetos de ressignificação de parques públicos

Imprimir Compartilhar Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter Compartilhe no Google Plus
Em 8 de junho de 2017

Alunos do último ano do programa Dante High School participaram, em 20 de maio, da edição anual do Dante in Company, competição em que os participantes, divididos em grupos, devem desenvolver projetos inovadores que apresentem impactos positivos à sociedade. Ao todo, 19 alunos, divididos em cinco grupos, fizeram parte das atividades.

O tema, em 2017, foi o aprimoramento e o embelezamento de espaços públicos, com o fim de torná-los mais convidativos e funcionais à sociedade. O evento foi apresentado pelo empresário e consultor Robert Young, que também atuou como um dos jurados.

Com ele, participaram César Shimura, ex-aluno do Dante, consultor financeiro formado na FGV e integrante da Lunica Consultoria, Carlos Shimura, graduado em administração de empresas na FGV com participação na área de startups e empreendedorismo, Christiana Rubini, ex-aluna do Dante, estudante de economia no Insper e participante premiada de eventos internacionais de empreendedorismo social, e Eduardo Rubini, ex-aluno do Dante, economista pela Universidade de Chicago e analista na divisão de investimentos do banco Morgan Stanley.

Cada grupo teve cinco minutos para apresentar as ideias. Findada essa etapa, jurados e visitantes tiveram dez minutos para fazer perguntas aos integrantes. O grupo vencedor, “Gravilux”, desenvolveu propostas para a popularmente conhecida como Praça do Pôr do Sol, localizada no Alto de Pinheiros. Formada pelas alunas Alexia Campidelli, Caterina Trofa, Catherine Colohoridis, Julia Dias, Paula Buaiz e Sofia Kyrillos, a equipe apresentou uma série de comentários negativos a respeito do parque, com o fim de explicitar a desvalorização do espaço, que não estaria recebendo os devidos cuidados, e sugeriu trabalhos de revitalização e ressignificação na área.

A estruturação do projeto e a argumentação apresentada nos minutos disponíveis ao grupo convenceram os jurados. E conquistar o título da competição não é fácil: o projeto precisou ser desenvolvido em apenas uma hora e meia levando em conta diversos aspectos, como os benefícios das mudanças propostas ao meio ambiente, os materiais e os investimentos necessários, os tipos de mão de obra necessários para a realização do projeto, o tempo previsto para sua conclusão e a possibilidade de haver parcerias e patrocínio empresarial.

A coordenadora do Departamento de High School, professora Rossella Beer, enalteceu o desempenho das equipes. “Todos os grupos foram muito bem, tanto na elaboração da proposta como na hora de se posicionar para defender os projetos. É importante levar em conta que não só a apresentação foi feita em inglês, como também toda a elaboração do projeto. É um desafio muito grande, e todos foram bem. Mas a equipe vencedora foi impecável”, disse.

Como prêmio pela vitória, as alunas realizaram, na mesma semana, uma visita guiada à sede da Microsoft em São Paulo.

Categorias: Destaque, Ensino Médio